Gestalt-Terapia é uma abordagem psicoterapêutica experiencial que visa o desenvolvimento do contato e da "awareness", dando especial atenção à relação terapêutica e às formas de interrupção do fluxo de contato do cliente.

A ênfase da Gestalt-Terapia está na totalidade da experiência, no que ela é e no que poderá ser, no sentido de explorar novas possibilidades de comportamento, e não no "falar sobre".

Embora o foco do processo terapêutico seja o presente, a experiência passada tem sua importância a partir da forma como afeta o "agora", surgindo como situações inacabadas, estrutura de caráter e formas de ser no mundo.

O gestalt-terapeuta trabalha com estes elementos no aqui-agora criando condições para o cliente "dar-se conta" dos mesmos, experimentando novas possibilidades, reconfigurando sua existência. Aprendendo a acompanhar o seu próprio processo, o cliente poderá apropriar-se e apreciar a totalidade do seu ser, permitindo-se assim escolher e desenvolver seus próprios caminhos.

A Gestalt-Terapia surgiu no início da década de 50, a partir das reflexões de Friederich Perls, um psicanalista nascido em Berlim em 1893, de origem judaica, que emigrou durante a década de 40, com a ascensão do nazismo, para a África do Sul e posteriormente para os Estados Unidos da América, onde juntamente com um grupo de intelectuais norte-americanos desenvolveu esta nova abordagem. Deste grupo os mais destacados foram Paul Goodman, Laura Polsner (esposa de Perls), Isadore From, Paul Weisz, Lotte Weisz, Elliot Shapiro, Alison Montague e Sylvester Eastman. 

A Gestalt-Terapia resultou da síntese criativa de várias tendências culturais filosóficas e psicológicas que, no período pós -guerra, revelaram novos paradigmas. 
As várias contribuições teóricas formadoras desta abordagem foram a Psicologia da Gestalt (Wertheimer, köhler e Koffka), Teoria de Campo (Lewin), Teoria Organísmica (Goldstein) que são em seu conjunto uma proposta de campo estrutural, não associacionista e holística do fenômeno psicológico. 

Outras influências importantes adviram do pensamento do filósofo S. Friedländer (Indiferença Criativa), da Psicanálise, da experiência pessoal de Perls de análise individual com Reich e Karen Horney, bem como do Existencialismo e da Fenomenologia, na qual Perls foi treinado por Isadore From e finalmente por filosofias orientais, especialmente o Zen. 

O primeiro livro publicado por Friederich Perls, antes mesmo do nascimento da Gestalt-Terapia, foi "The Ego, Hunger and Aggression"(1942), onde expressa de forma condensada sua crítica à teoria de Freud. Esta obra se torna o pilar de um novo modelo psicoterapêutico, que tem suas bases contidas em "Gestalt Therapy: Excitement and Growth in the Human Personality" de F. Perls, R. Hefferline e P. Goodman (1951). 

Um ano após esta publicação foi fundado o Gestalt Institute of New York e a partir daí Perls passou a divulgar seu método de psicoterapia, criando e dirigindo grupos e seminários pelos Estados Unidos e Canadá. Em 1964 passa a residir em Esalen, na Califórnia onde coordenou workshops, lecionou e passou a ser amplamente conhecido como expoente de um método psicoterápico inovador e viável. A Gestalt-Terapia se torna então um dos métodos terapêuticos largamente difundidos nos Estados Unidos e no mundo, até os dias de hoje.